Revista Seca – Chamada para Publicação

22 abril, 2017

Por: Vitor Camargo de Melo

A Revista Seca convida as/os alunas/os do Ensino Médio do Distrito Federal a contribuir com a sua primeira edição. Os interessados devem produzir uma matéria inédita abordando a visão de estudante secundarista sobre algum aspecto (rotinas, cultura, estilos de vida, etc) da cidade de Brasília. O texto deve conter entre 5 mil e 6 mil caracteres (sem espaço) e ser enviado (até o dia 21/05/2017) em formato DOC para o e-mail revistaseca@gmail.com, junto com 1)o nome completo de cada autora/autor, 2)o nome com que gostaria de assinar o texto, 3)a idade e 4)a série que está cursando.

A matéria escolhida pelo corpo editorial será publicada na coluna “Papo de Secundarista”, no primeiro número da Revista Seca, a ser lançada em 2 de junho de 2017.

A Revista Seca é um projeto que busca circular matérias de tom leve, escritas com viés literário e inovador, tendo como principal tema a cidade de Brasília e suas dinâmicas.

Dúvidas e sugestões podem ser enviadas para o mesmo endereço de e-mail.

A equipe da Revista Seca agradece o interesse e deseja boa sorte aos concorrentes!

Compartilhe:
FacebookTwitterGoogle+Google GmailCompartilhar
Nenhum Comentário

Indicação de Obra – Lobo Solitário

13 abril, 2017

Por: Vitor Camargo de Melo

Lobo Solitário (Kozure Ōkami) 1970

Rot.: Kazuo Koike

Arte: Goseki Kojima

Editora Panini Comics

*****

LoboSolitario01Capa

Já há tempos que eu me devia a leitura desse clássico das histórias em quadrinhos (mesmo pra quem implica com Mangá, como eu). Lobo Solitário revolucionou a nona arte e influenciou outros gigantes artistas gráficos e narrativos que vieram depois da dupla Koike/Kojima. Em processo de reedição no Brasil atualmente, o Volume 1 foi lançado em janeiro deste ano. O Volume 2 acaba de ser lançado nesta semana. Já aguardamos ansiosos pelo próximo! Há rios de genialidade na história de um Ronin em busca de vingança que, apesar do nome, viaja acompanhado do filho pequeno. A reconstrução do período Edo, quando a história se passa, é minuciosa e cuidadosa, assim como o traçado dos movimentos dos diferentes estilos de luta com espadas que aparecem retratados. As estratégias aplicadas pelo protagonista em suas missões são todas representações de ensinamentos de Sun Tzu em A Arte da Guerra. E a arte é impecável, capaz de proporcionar páginas tão expressivas quanto narrativas. Como por exemplo:

20170326_223807

Compartilhe:
Nenhum Comentário

Indicação de Obra – Carolina

10 março, 2017

Por: Vitor Camargo de Melo

Carolina (2016)

Aut.: Sirlene Barbosa e João Pinheiro

Editora Veneta

***

Carolina

Obra em quadrinhos contando a trajetória de Carolina Maria de Jesus, uma das primeiras escritoras negras publicadas do Brasil. Autora do best-seller Quarto de Despejo, Carolina foi empregada doméstica e entre outras coisas, catadora de papel. Moradora da antiga Favela do Canindé, retratou o lugar como principal cenário desse primeiro livro. A história de Carolina é grandiosa e vale o registro nessa biografia. A vontade de expor uma pesquisa muito bem feita, no entanto, trunca a narrativa em alguns momentos. O tom apologético (no sentido da justificativa) de algumas passagens me incomodou também. Mas no geral é uma obra que vale pelo registro histórico de uma personagem que merecia maior espaço de reconhecimento na história da literatura.

Compartilhe:
Nenhum Comentário

Indicação de Obra – A Sombra do Vento

01 março, 2017

Por: Vitor Camargo de Melo

A Sombra do Vento (La Sombra del Viento) 2001

Autor: Carlos Ruiz Zafón

Editora Suma de Letras

**

A Sombra do Vento

Comecei a ler com boas expectativas, pelas indicações que recebi, mas me decepcionei. O trabalho de linguagem fica muito prejudicado pelo projeto de ser um best-seller. As cenas são excessivamente explicativas, as informações que ressurgem ao longo da trama são todas re-enfatizadas para que o leitor não as perca, as conexões são esmiuçadas à exaustão e a linguagem sofre muito com esse recurso. Para além disso, tem algumas boas passagens, mas a trama é feita basicamente de algumas boas ideais pobremente trabalhadas e alguns clichês que até seriam perdoáveis se o todo não deixasse a desejar.

Compartilhe:
Nenhum Comentário

Indicação de Obra – O Diabo e Eu

17 fevereiro, 2017

Por: Vitor Camargo de Melo

O Diabo e Eu (2016)
Autor: Alcimar Frazão
Editora Mino
*****

ODiaboEu


Sem uma linha escrita, seja em balão de diálogo, seja em onomatopeia, Alcimar Frazão narra graficamente a história impressionante de Robert Johnson, o maior bluesman que se tem notícia. A arte é belíssima, com fortes inspirações no quadrinho de terror, e trata da relação do músico com sua mãe e seu padrasto até a encruzilhada onde teria vendido sua alma ao diabo em troca dos dotes musicais absurdos que passou a ostentar com o violão. Quadrinho nacional de primeira qualidade!

Compartilhe:
Nenhum Comentário